Melhorar de forma contínua

Como já dissemos no início deste capítulo, as organizações mudam para melhorar. Por isso, devemos estabelecer uma cultura de melhoria contínua ao longo de todo o processo de servitização, e também durante a operação do PSS.

A servitização é um processo dinâmico. Sempre há a possibilidade de realização de melhorias, seja em relação aos indivíduos ou aos aspectos técnicos do processo.

Podemos fazer uma melhoria contínua para atingir alguns dos seguintes propósitos: para aumentar o desempenho da operação do PSS; para solucionar problemas que foram identificados durante a operação do PSS; ou, para diminuir a possibilidade de ocorrências de não conformidades na operação.

Saiba que a melhoria não precisa ocorrer, necessariamente, em sistemas ou estruturas. Pode ser, por exemplo, na habilidades interpessoais com ações para aumentar a empatia, a criatividade, a facilidade de se trabalhar em grupo. Você também pode fazer a melhoria contínua por meio de treinamentos, reconhecimentos e recompensas para as pessoas. Assim, irá incentivá-las ainda mais.

DICAS

  • Podemos definir programas de melhoria contínua internamente na organização e entre parceiros para buscar, cada vez mais, a identificação e realização de melhorias durante e após a servitização.

Relacionamento entre as atividades da gestão de mudança com as outras atividades da metodologia de servitização.

Vimos neste capítulo que a gestão de mudança tem de estar integrada com a gestão de projetos, devido a superposições e complementaridades dessas duas abordagens.

Optamos por não explicitar as atividades de gestão de projeto, pois elas estão relacionadas com a maior parte das atividades da metodologia de servitização. Você deve considerá-las ao realizar o projeto de servitização.

Como mencionado em “Como aplicar esta metodologia” fornecemos um checklist com todas as atividades e entregas para você utilizar como referência para planejar seu projeto de servitização.

Falamos que as atividades de gestão de mudança representam o “pano de fundo” da metodologia. Na tabela mostramos a relação entre as atividades da gestão de mudança e as outras atividades da metodologia de servitização.

 Quem deve realizar essas atividades?

Como a gestão de mudanças permeia todas as atividades que a organização precisa executar para a servitização, ela envolve todas as pessoas que fazem parte dos vários processos de negócio envolvidos na mudança. É um time multifuncional. Pode incluir pessoas das mais diversas áreas funcionais da empresa, como planejamento estratégico, marketing, engenharia, vendas, pós-vendas, assistência técnica, etc. As pessoas podem ter diferentes cargos, com determinadas funções, e assumir diferentes papeis.

Mas, enfatizamos que os líderes são os principais responsáveis em prover o direcionamento das mudanças e garantir o engajamento e envolvimento de todas as pessoas.

Uma boa liderança é a chave para o sucesso de qualquer organização. É o que garante atingir os objetivos das mudanças.

 

Conhecimentos básicos para realizar essas atividades

Entender em mais detalhes sobre a servitização, quais são os benefícios e seus desafios é imprescindível para a gestão de mudança desse processo. Recomendamos que você foque na parte introdutória deste guia, onde são apresentados conceitos, tipos de PSS, benefícios e barreiras e alguns outros conceitos fundamentais.

Também indicamos que você tenha em mente os princípios da gestão de mudanças. Eles podem ser muito interessantes para que você consiga ter uma base para realizar todas as atividades da gestão de mudanças. Acesse: https://www.strategy-business.com/article/rr00006?gko=643d0.

 

Fontes adicionais de consulta

Para entender mais sobre como criar uma poderosa visão de mudança, apresentamos aqui uma explanação do John Kotter, professor emérito da Harvard Business School e expert neste assunto. Veja aqui: https://www.forbes.com/sites/johnkotter/2011/06/07/how-to-create-a-powerful-vision-for-change/#22717e0051fc

Você pode saber um pouco mais sobre a comunicação da visão de mudança a partir do que o John Kotter apresenta em seus trabalhos. Acesse: https://managementisajourney.com/leading-change-step-4-communicate-the-change-vision/

Caso você e seu time desejem entender algumas práticas de gestão ágil de projetos que podem ser utilizadas para o planejamento da mudança, veja a apresentação em https://pt.slideshare.net/agilecoach/executing-change-management-with-agile-practices

Como um importante aspecto na gestão de mudanças é lidar com os “anti-agentes de mudanças”, apresentamos aqui algumas estratégias, descritas pela Forbes, que podem ser realizadas para gerenciar as pessoas que resistem à mudança. Vejam em: https://www.forbes.com/sites/forbescoachescouncil/2017/03/17/strategies-for-managing-employees-who-resist-change/#3b302e116c71