Identificar sistemas, subsistemas e componentes (SSC)

Esse é o momento de identificar as partes que compõem o produto, com base no conceito do produto previamente definido. Não esqueça que, se sua organização possui um processo de desenvolvimento / design de produtos, o design conceitual ocorre naquele processo e flui para este, como explicado na seção “aplicação da metodologia de servitização com outras abordagens”.

ENTREGAS

Diagramas funcionais (revisar)

Provavelmente, no design conceitual, você desenvolveu diagramas funcionais do seu produto que resultaram da proposição de valor. Se for o caso, você pode revisar para servir de base do mapeamento das funções do produto aos itens e módulos do seu produto.

Se não tinha realizado, ou se estiver servitizando com base em um produto existente, você precisa avaliar se consegue desenvolver a arquitetura integrada sem essa informação.

Sistemas, Subsistemas e Componentes (SSC)

Os itens de um produto podem ser classificados sistemas, subsistemas e componentes (SSCs ) de um produto. Essa classificação define o nível de agregação hierárquica dos itens no produto[i].  Eles estão relacionados às funções atribuídas às alternativas de solução, definidas anteriormente durante a fase conceituais do desenvolvimento do produto. As alternativas de solução são as formas que o produto pode tomar para que a solução pretendida seja atendida. As alternativas de solução devem então ser desdobradas nos SSCs para que eles atendam às funções do produto. As SSCs devem ser identificadas de modo que possam ser associadas às tecnologias da informação e aos serviços.

Esses itens são definidos ao longo de todo o desenvolvimento do produto. No design detalhado, nós terminamos a definição de todos os itens. Lá eles são então verificados e avaliados.

A forma de representar esses itens é importante neste nível de abstração (arquitetura) para não entrar no nível de especificação do design detalhado.

[i] Para mais detalhes, veja o livro “Gestão de Desenvolvimento de Produtos – Uma Referência para a Melhoria do Processo” (Rozenfeld et al., 2006).