Perspectiva procedural da metodologia de servitização

Perspectiva procedural da metodologia de servitização (veja a relação entre essa perspectiva e de conteúdo no final desta página)

Servitizar é mudar. É realizar o design e a implantação de um novo modelo de negócio. É inovar o modelo de negócio. Esta perspectiva procedural mostra que servitizar é um ciclo iterativo de melhoria contínua, no qual realizamos as atividades apropriadas dentro de um projeto de servitização ou dentro de uma iteração (sprint) de um projeto.

Reveja no capítulo de definições a comparação entre servitização, design / desenvolvimento de PSS e inovação de modelo de negócios para diferenciar melhor o que é a servitização (o processo de mudança) e um projeto de serviço para uma organização específica.

Nesta perspectiva, mostramos que um projeto de servitização inicia-se com o seu planejamento e com a mobilização para motivar todos que irão desenhar e implantar o novo modelo de negócio.

Em seguida precisamos entender os stakeholders e desenhar o novo modelo de negócio. Na perspectiva procedural essas duas etapas ocorrem em vários ciclos nos quais são criados protótipos de vários níveis de fidelidade ao PSS final para se testar e avaliar ideias, conceitos e soluções.

A prototipagem é essencial para se apresentar novamente para os usuários e receber retornos para se aprimorar a solução.

A etapa seguinte é implantar tudo aquilo que foi especificado até que o PSS entre em operação. Neste momento gerenciamos o ciclo de vida, que inclui o fim-de-vida. as informações que coletamos durante essa fase do ciclo de vida são importantes se conseguirmos analisar. Delas podemos extrair conhecimentos para novos desenvolvimentos.

A gestão de mudanças e a gestão de projetos também são representadas nesta perspectiva como o pano de fundo de todas as etapas.

Relação entre a perspectiva de conteúdo e a procedural

Lembre-se que perspectiva de conteúdo define os grupos de atividades